sexta-feira, 23 de maio de 2014

Hipocorísticos ("apelidos") comuns em espanhol



Antes de apresentar alguns apelidos comuns em espanhol, é importante fazermos algumas distinções. O que veremos aqui, na verdade, são alguns Hipocorísticos (do grego hypokoristikós, significa chamar carinhosamente, com carícias), que são as modificações nominais com intenção de carinho, para uso no trato familiar ou amoroso (papai, mano, benzinho, Marcão, Fafá, Tião, etc.); diferentes dos apelidos que são qualificações individualizadoras que apontam determinada característica de alguém (Pedro, o careca; Cervantes, o manco de Lepanto; Dona Maria, a louca, etc.).



Em espanhol, os nomes familiares ou carinhosos também são chamados de hipocorístisticos, entretanto, há algumas diferenças: o que nós chamamos de apelido eles chamam de alias, mote, apodo e sobrenombre. Ou seja, o que para eles é sobrenombre para nós é apelido; e o que para nós é sobrenome para eles é apellido. Achou confuso?



Vejamos a explicação:



Miguel de Cervantes, el manco de Lepanto.

Miguel: nombre (nome)

de Cervantes: apellido (sobrenome)

el manco de Lepanto: apodo, alias, mote, sobrenombre (apelido)

Miguelito, Miguelín: hipocorísticos do nome Miguel



O processo de formação dos hipocorísticos se dá normalmente:

  • Por adição dos sufixos: -(c)ito/-(c)ita, -(c)ín/(c)ina -(c)illo/-(c)illa, ou outros menos frequentes como -cho/-chu/-chi (do basco): Juana → Juanita, Antonio → Antoñito, Luis → Luisillo, Juan → Juancho, Juan→Juanchi, Carlos → Carlitos.
  • Por eliminação de uma ou mais sílabas: Susana → Susi, Antonio → Toni, Nicolás → Nico.
  • Por união de dois nomes: Juan Manuel → Juanma, José Manuel → Josema, Juan Carlos → Juanca, Juan Ramón → Juanra, etc.
  • Por alterações fonéticas: Francisco → Paco/Pacho/Pancho/Curro, José → Pepe,  Ascensión → Choni, Rosario → Charo, etc.
  • Por imitação da linguagem infantil (principalmente mediante a palatalização de consoantes, que consiste na modificação resultante da diferente articulação bucal, quando, ao falar, a língua encosta no palato, o céu da boca): Gregorio → Goyo, Rosario → Chayo, Antonio → Toño.



Agora sim, vejamos alguns hipocorísticos comuns na Espanha:



Nomes femininos:

Alicia = Licha

Asunción = Asun

Beatriz = Bea

Carmen = Camucha, Carmencita

Carolina = Carol

Concepción = Concha, Conchi (cuidado, em alguns países da América Latina “concha” é o nome coloquial do órgão sexual feminino)

Dolores = Lola

Guadalupe = Lupe

Isabel = Chabela

Josefa = Pepa, Pepita

María Encarnación = Encarna

María Isabel = Maribel, Mabel

María Luisa = Marisa

Mercedes = Merche, Mercedita

Milagros = Mila

Rosario = Charo

Rosa = Rosi, Rosita

Sandra = Sandi

Soledad = Sole

Susana = Susi

Valentina = Tina



Nomes Masculinos:

Alejandro = Alex

Antonio = Toño

Enrique = Quique

Francisco = Paco, Quico, Pancho

Frederico = Fede

Gabriel = Gabi, Gabo

Gregorio = Goyo

Guillermo = Guille

Ignacio = Iñaqui, Nacho

Jaime = Jaimito (protagonista típico de piadas ingênuas, infantis, ou com duplo sentido)

Javier = Javi

Jorge = Coco

José = Pepe y Jose (sin tilde)

José María = Chema

José Luis = Joselu

Juan = Juancho

Manuel = Manolo

Miguel = Míguel (acentuado no i), Miguelito, Miguelín

Nicolás = Nico

Ramón = Moncho

Roberto = Róber
Sebastián = Sebas

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário