quarta-feira, 10 de fevereiro de 2021

8 dicas ao enviar um e-mail para as agências de tradução


Você investiu tempo e paciência para elaborar um currículo perfeito, gerou o .pdf protegido, separou as agências do seu sonho, mas, calma lá! Não coloque os bois na frente da carroça! (rs) Agora vem a parte mais importante: enviar o e-mail de forma correta. Afinal, a primeira impressão é a que fica, e você precisa transmitir credibilidade e profissionalismo.

1) Use um endereço apropriado

Não arruíne a chance de conseguir uma oportunidade usando aquele e-mail que você criou aos 15 anos de idade, use um nome adequado. O ideal é criar um e-mail profissional. Para isso é preciso obter um domínio e escolher um provedor. Se preferir usar uma conta pessoal, escolha um endereço do tipo "nome.sobrenome@provedor.com". Nada do tipo gatinha@... zoreia@... extraterrestre@...

2) Não se esqueça de anexar o currículo!

Pode parecer a coisa mais óbvia, mas quem nunca? Se tem algo realmente constrangedor, quando enviamos um e-mail para concorrer àquela tão sonhada oportunidade, é quando clicamos no botão "Enviar" no exato momento em que percebemos que não anexamos o currículo. Instantaneamente se acende um letreiro luminoso em nossa mente: "LOOSER". Para evitar passar uma má imagem, configure um alerta que indica que você está prestes a enviar uma mensagem sem anexo sempre que afirmar explicitamente no corpo do e-mail que está anexando algo. As ferramentas estão aí para nos ajudar. Explore-as!

3) Evite um assunto genérico do tipo "currículo"

Qual é a primeira coisa que você vê num livro? O título, certo? Pois a primeira coisa que o recrutador vai olhar no e-mail é o assunto, por isso evite um assunto vago que não diz nada, algo como "currículo" ou "especialista linguístico". Atraia a atenção dele com um assunto mais específico, "Especialista em tradução técnica de inglês e alemão", ou mencione algo que destaque você, como uma certificação, um livro que você traduziu, um prêmio, etc.

4) Escreva uma carta de apresentação no corpo do e-mail

Por incrível que pareça, algumas pessoas escrevem apenas "Prezado, segue anexo o meu currículo" ou algo parecido. É fundamental que você tenha uma boa carta de apresentação, pois ela será lida antes do currículo, deve ser atrativa como o mostrador de uma confeitaria. É importante que esteja muito bem escrita, sem erros, bem formatada, que seja formal, mas que também mostre um pouco da sua personalidade. Escreva brevemente em primeira pessoa sobre sua formação e experiência, sobre seu interesse na empresa, sobre suas áreas de especialidade e os valores que você preza, por exemplo. Saiba mais aqui.

5) Não envie o mesmo e-mail para várias agências ao mesmo tempo

É muito deselegante e nada profissional enviar o mesmo e-mail para várias agências ao mesmo tempo deixando os endereços visíveis a todos os destinatários. Para preservar a privacidade de seus contatos contra spam e vírus e evitar que seus destinatários saibam quem recebeu a mesma mensagem, insira os endereços no campo "Cco" (cópia oculta), ou melhor, envie um e-mail por agência, para não correr o risco de meter as mãos pelos pés ou coisa parecida.

6) Especifique suas áreas de especialidade

Ajude o recrutador especificando suas áreas de especialidade e o tipo de documentos que costuma traduzir. Ninguém domina todas as áreas, por isso é importante mencionar aquelas nas quais você tem mais experiência ou, se você estiver começando, aquelas com as quais tem mais afinidade.

7) Ofereça-se para realizar um teste

Mostre que você está apto para começar. Ofereça-se para realizar um teste sem compromisso. Isso demostra confiança e disposição. É a forma de demonstrar sua destreza. É a prova de acesso obrigatória para as agências de tradução. Se você ainda não teve a oportunidade de fazer um teste, vá treinando todos os dias, prepare-se. Pratique para identificar aqueles pontos que precisa melhorar. Saiba mais sobre testes aqui.

8) Crie uma assinatura profissional

Ter uma assinatura profissional faz toda a diferença, pois funciona como um cartão de visitas. Ela deve conter seu nome e sobrenome, sua profissão, contato (pode ser seu telefone, Skype ou um link para o WhatsApp). Além disso, pode conter uma foto ou um logo, ou ainda, um selo de certificação e um link para sua página web ou seu perfil no LinkedIn. Também pode incluir uma frase com a qual se identifique. No entanto, uma assinatura bagunçada ou poluída pode atrapalhar em lugar de ajudar. Novamente a internet e as ferramentas estão aí para nos ajudar, há artigos sobre o assunto, modelos, geradores de assinaturas, saiba mais aqui.

Ah, sim, por último, mas nem por isso menos importante, muito pelo contrário: seja cordial!
Não se esqueça de cumprimentar o destinatário e de finalizar agradecendo a atenção e colocando-se à disposição. E, por fim, revise a mensagem várias vezes antes de enviá-la e SALVE-A para não ter que começar do zero cada vez que for enviar um currículo! 

Eu disse oito dicas, e no último parágrafo foram mais duas, mas agora já era, o foguete para a lua já saiu da estação... é promoção, peça 8 e leve 10!

segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Receita de sonho




Este fim de semana aproveitei minha folga para fazer umas experiências na cozinha… mais especificamente a receita de sonho da "tia Lelé" @bolosdalefoz (Instagram). Vocês não tem noção da responsabilidade que isso representa!  

Felizmente deu tudo certo, e o resultado superou minha expectativas.  Assim, para começar a semana com muita inspiração, deixo aqui o registro da minha experiência culinária, desejando a todos que saboreiem seus sonhos, pois ainda que muitas vezes não se concretizem, são eles que nos movem! 

Para aproveitar o ensejo, deixo aqui algumas curiosidades e a tradução da receita ao espanhol:                                                                                                                                                                  

En España se llaman “suizos” o “berlinesas”; en Paraguay, “bollos”; en Argentina y Uruguay se conocen como “bolas de fraile”, “suspiros de monja” o “buñuelos y existen variantes con rellenos de dulce de leche, dulce de membrillo o crema pastelera. En Chile se denominan “berlines” y se rellenan principalmente con crema pastelera o mermelada de membrillo. En Venezuela se les llama “bombas”. El nombre más bonito, en mi opinión, se le ha dado en portugués, no sé si originalmente en Brasil o en Portugal: “sonhos”, es decir, sueños. Suena bien, ¿no? 

MASA 

1 sobre de levadura seca (45 g) 

2 huevos  

1 yema 

2 cucharadas de mantequilla o margarina 

250 ml de leche templada 

1 pizca de sal 

¼ de taza de azúcar 

1 cucharita de esencia de vainilla 

500 g de harina de trigo 

Aceite de girasol o soja para freír 

 

CREMA 

750 ml de leche 

2 yemas tamizadas 

6 cucharadas de harina de trigo 

1 caja o lata de leche condensada 

Esencia de vainilla a gusto 

 

Disuelve bien la harina en la leche fría con una varilla de batir, incorpora la leche condensada, las yemas y la vainilla y ponla en fuego lento, removiendo constantemente hasta que quede bien espesa. 

PREPARACIÓN 

Bate en la licuadora todos los ingredientes, excepto la harina.  

En un bol incorpora la harina, poco a poco, hasta que se vaya despegando de las manos.  

Echa un poco de harina sobre la mesa y amasa la mezcla un buen rato, nunca es demasiado. Echa la harina, poco a poco, solo para que la masa no se te pegue a las manos. No se debe echar demasiada harina para que no quede una masa pesada. 

Cuando la mezcla quede bien uniforme, cúbrela con un paño de cocina limpio y déjala reposar en un lugar cálido.  

Cuando haya doblado en volumen, espolvorea una mesa con harina y moldea las bolitas y ponlas sobre una superficie espolvoreada con harina para que no se peguen, y deja espacio entre ellas porque van a fermentar y crecer.  Ojo, ¡no dejes que crezcan demasiado!

Fríelas en aceite, no demasiado caliente. 

Dales la vuelta hasta que estén bien doradas, que queden más bien morenitas por ambos lados. Empújalas hacia abajo cuando les des la vuelta para lograr un bronceadito más parejo.  

Cuando estén bien doraditas, échalas en un bol con azúcar glas mezclado con canela y espolvoréalas bien. 

Una vez que hayas freído y espolvoreado todos los bollos con la mezcla de azúcar y canela, córtalos y rellénalos con la crema pastelera. Para rellenar puede usar una cuchara o una manga confitera. También puedes usar dulce de leche como relleno.

 

MASSA 

1 embalagem de fermento seco (45 g) 

2 ovos  

1 gema 

2 colheres de sopa de margarina 

250 ml de leite morno 

1 pitada de sal 

¼ de xícara de açúcar 

1 colher de café de essência de baunilha 

500 g de farinha de trigo 

Óleo de girassol ou soja para fritar 

 

CREME 

750 ml de leite 

2 gemas peneiradas 

6 colheres de sopa de farinha de trigo 

1 caixa ou lata de leite condensado 

Essência de baunilha a gosto 

 

Dissolva bem a farinha no leite frio com um batedor de ovos, acrescente o leite condensado, as gemas e a baunilha e leve ao fogo baixo, mexendo sempre até ficar bem espesso. 

PREPARO 

Bata no liquidificador todos os ingredientes, exceto a farinha.  

Em uma bacia, acrescente a farinha, aos poucos, até desgrudar das mãos.  

Polvilhe uma mesa com um pouco de farinha e amasse a mistura durante um bom tempo, nunca é demais. Acrescente farinha, aos poucos, somente para a massa não grudar nas mãos. Não se deve colocar muita farinha para que a massa não fique pesada. 

Assim que a mistura ficar bem uniforme, cubra-a com um prato de cozinha limpo e deixe-a descansar num lugar abafado.  

Quanto tenha dobrado de volume, polvilhe uma mesa com farinha, modele as bolinhas e coloque-as sobre una superfície polvilhada com farinha para não grudar, deixando espaço entre elas porque vão fermentar e crescer.  Cuidado para não deixar crescer demais!

Frite-as bolinhas no óleo, não muito quente. 

Vá virando-as até ficarem bem douradas, bem moreninhas de ambos os lados. Empurre-as para baixo com a escumadeira, para conseguir uma cor mais uniforme.  

Cuando estiverem bem douradas, jogue-as num recipiente com açúcar refinado e canela e polvilhe-as bem. 

Uma vez fritos e polvilhados com açúcar e canela, corte os sonhos e recheie-os com o creme de confeiteiro. Para recheá-los, use uma colher ou um saco de confeiteiro. Você também pode usar doce de leite para recheá-los.

Para ver mais sobre tradução de receitas e cardápios, clique aqui.