sexta-feira, 30 de junho de 2017

O portunhol na tradução do português ao espanhol

Primeiramente, quero deixar claro que não tenho nada contra o “portunhol” como tentativa amigável de estabelecer comunicação com nossos “hermanos”, seja na praia, no comércio ou num bar, nesses casos, considero louvável todo esforço para interagir e relacionar-se.

Já nas traduções do português ao espanhol, devemos evitar a todo custo a interferência de nossa língua materna. Nas traduções do português ao espanhol abundam os empréstimos léxicos e gramaticais, os falsos amigos e as interpretações e traduções erradas ou imprecisas que comprometem a qualidade do trabalho e a imagem de empresas que utilizam traduções com esse tipo de problemas.

Hoje vamos nos ater aos empréstimos lexicais. Como o português e o espanhol são muito parecidos, há uma tendência à generalização das regras de formação de palavras, o que resulta em vocábulos aparentemente corretos, mas que na verdade não o são, ou ao menos, não com o sentido que lhes atribuímos.

Acompañamiento = usa-se no sentido de acompanhar, estar junto a algo, como, por exemplo, “acompañamiento musical”, ou um “acompañamiento” para uma comida. No sentido de supervisão ou monitoramento é preferível a forma “seguimiento”. O termo “acompañamiento” também é usado em alguns contextos específicos, como, por exemplo, na educação. O “acompañamiento pedagógico”, por exemplo, refere-se ao processo em que um docente experiente acompanha um docente principiante para orientá-lo e apoiá-lo.

Atendimiento = consta no dicionário, mas é uma forma em desuso. A forma predominante é "atención". Do mesmo modo, não existe o adjetivo "atendiente" em espanhol, a pessoa que atende no balcão de uma loja é o "encargado" ou "vendedor", e a que trabalha num serviço de atendimento telefônico é chamada de "agente".

Fornecimiento = não se usa no sentido de prover algo, nesse sentido, usa-se “suministro”, “provisión” ou “aprovisionamiento”. A palavra “fornecimiento” existe em espanhol, mas não com o mesmo sentido que em português, é uma forma arcaica que fazia referência ao reparo de um castelo ou fortificação.

Desenvolvimiento = no sentido de progresso, evolução, realização ou crescimento, diz-se “desarrollo”. Assim, Banco Interamericano de Desenvolvimento em espanhol é “Banco Interamericano de Desarrollo”. Em espanhol, o termo “desenvolver” se emprega predominantemente no sentido de desembrulhar, esclarecer, ou ainda, no sentido de agir com desembaraço.

Agendamiento = embora se admita o verbo “agendar” no sentido de marcar uma data com antecedência, não existe o termo “agendamiento”, o equivalente seria “programación”.

Investimiento = “investir” em espanhol significa conferir uma dignidade ou cargo importante “Lo invistieron con/de los honores del cargo”, mas não se usa no sentido de aplicar dinheiro, com esse sentido, usam-se o verbo “invertir” e o substantivo “inversión”.

Credenciamiento = outro vocábulo que não existe, o correto é “acreditación”.

Aprimoramiento = também não existe este termo, os equivalentes em espanhol são o verbo “perfeccionar” e o substantivo” perfeccionamiento”.

Amador = não se usa como antônimo de profissional. “Amador” em espanhol equivale a “que ama”, “amante”, por exemplo “un hombre ávaro es un amador del dinero”. Para referir-se a uma pessoa que se dedica a uma arte ou ofício por gosto ou curiosidade, usa-se “aficionado”.

Efecto estufa = a forma predominante é “efecto invernadero”.

Experiente = para referir-se a alguém com muita prática em alguma coisa, usa-se “experto”, “con amplia experiencia” ou “experimentado”.

Cansativo = no sentido de extenuante, diz-se “cansado”, por exemplo, “Ir de São Paulo a Fortaleza en coche es un viaje muy cansado”. Já na Argentina não se diz "cansado", mas sim "cansador".

Envolvido = não existe este termo em español. O participio de “envolver” é “envuelto” e equivale a “embrulhado”. No sentido de estar ligado ou de participar de uma situação, usa-se “implicado” ou “involucrado”.

Senso común ou senso de humor = em espanhol se diz “sentido común” e “sentido del humor”.

Cartón de crédito = a forma correta é “tarjeta de crédito”.

Sacar dinero en la caja electrónica = “realizar un retiro en el cajero automático”.

Hacer un saque = “realizar un retiro”. Na Argentina, a operação de saque se chama "extracción de dinero o fondos" e em linguagem coloquial, simplesmente, "sacar plata".

Pagamiento = a forma correta é “pago”.

Estagiario = em espanhol se diz "pasante" ou “profesional en prácticas”. Prefira não usar “practicante” com esse sentido, porque esse termo é de uso restrito a alguns países como Colombia e Peru, em outros países, como Espanha, o termo practicante se refere à pessoa que pratica uma religião ou à pessoa que aplica injeções ou medicamentos numa farmácia ou posto de saúde. Para estágio, escolha entre "prácticas" ou "pasantías".

Trabajar con cartera firmada = tradução literal sem sentido, em espanhol se diz “trabajar en plantilla”, ou seja, como contratado. Um profissional “de plantilla” é aquele que trabalha com carteira assinada, com contrato.

De brinde = em espanhol não se diz “de brinde”, mas sim “de regalo”.

También no = não existe essa forma, o correto é “tampoco”.

Ganar una bolsa de estudios = a forma correta é “obtener una beca”.

Ser demitido = em espanhol o verbo “dimitir” é intransitivo, ou seja, ninguém “dimite” ninguém, “dimitir” equivale a renunciar, pedir a conta. Assim, podemos dizer “el fiscal dimitió” se foi ele que renunciou ou “el fiscal fue despedido” se ele foi demitido.

Estoy con hambre = em espanhol não se diz “estar con hambre” ou “estar con sed”, diz-se “tener hambre” e “tener sed”. Assim, a forma correta é “tengo hambre”.

Ser casado = a forma correta é “estar casado”.

Atenciosamente = atentamente.

Estoy torciendo por ti = não faz sentido em espanhol, a não ser que você esteja literalmente torcendo alguma coisa para alguém. No sentido de desejar o bem de alguém, podemos dizer “Te deseo lo mejor/suerte/éxito”.

Tiene demostrado = em espanhol a forma composta do pretérito perfeito constrói-se com o verbo auxiliar “haber”. Assim, o correto seria “ha demostrado”.

No va más a exigir =a construção correta em espanhol é “ya no va a exigir” ou “ya no exigirá”.

Cuidado também ao empregar vocábulos que já estão dicionarizados em português, mas que ainda não se assentaram no espanhol, como, por exemplo “viabilizar” e “disponibilizar”, prefira “hacer viable” e “poner a disposición, facilitar, suministrar, ofrecer”, respectivamente.

Garantir = esta forma não é portunhol, existe, mas se restringe a alguns países como Argentina e Uruguai, onde se usa em todos os tempos e pessoas da conjugação (le garanto que sí), nos demais países hispanófonos predomina a forma “garantizar”.


5 comentários:

  1. Hola, Diana! Permitame hacerle unos comentarios sobre formas de uso: «cansativo», por lo menos en argentina se puede traducir como «cansador», no se utiliza la forma que ud. menciona (un viaje cansado)
    También la ofrma utilizada ne Argentina es «sentido deL humor», y no «de», y en el cajero automático hacemos una «extracción de dineros o fondos» o, coloquialmente,se utiliza «sacar plata».
    Agradezco este espacio de reflexión sobre estas cuestiones que uno como profesional las tiene tan incorporadas que a veces se nos escapan en pleno uso.

    Saludos, y la sigo leyendo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ¡Gracias por tus comentarios y aportes! Lo de "sentido de(l) humor" fue un deslice mío, me comí la "l".

      Excluir
    2. Ya añadí la información, gracias.

      Excluir
  2. Respostas
    1. ¡Gracias, Sonia! Y yo te felicito por el canal en Youtube ;-)

      Excluir