terça-feira, 15 de abril de 2014

Diferenças ortotipográficas entre o espanhol e o português



A tipografia é a forma gráfica de expressar a linguagem e a ortotipografia é o conjunto de usos e convenções particulares que regem a escrita em cada língua.



Apesar da semelhança, o português e o espanhol apresentam diferenças ortotipográficas entre si. Vejamos algumas delas:



Pontos de interrogação e exclamação


Em espanhol, usam-se os pontos de exclamação e interrogação invertidos no início da frase.

¿Qué significa esto?

¡Me parece estupendo!



Aspas (comillas)


Em português usam-se as aspas itálicas “”, em espanhol, as latinas «».

«Cada uno es como Dios le hizo, y aún peor muchas veces.», Miguel de Cervantes.



Apesar de ser comum encontrarmos aspas itálicas nos textos em espanhol, seu uso é considerado um anglicismo.



Hífen (guion) e prefixos


Em espanhol, o prefixo une-se à palavra sem prefixo, assim, escreve-se: exdirector, microcomponente, posgrado, vicepresidente, microondas, antirrobo, prerrequisitos, etc.



Hífen e pronomes


Em espanhol, não se usa o hífen para separar uma forma verbal de um pronome oblíquo átono que a segue. O verbo e os pronomes se aglutinam e formam uma só palavra. Exemplos: sentirse, ponérselo, dármela, explícale, quítaselo, ponlo.



Travessão (raya)


Em espanhol o travessão vai sempre colado à palavra que o sucede quando abre o inciso e à que o antecede quando o fecha.

Exemplo:

Venezuelaprimer lugar de tierra firme avistado por Colón en su tercer viaje a América (1498)tenía, por aquel entonces, unos 300 000 habitantes.



Em espanhol, cada intervenção num diálogo inicia-se com um travessão colado à primeira palavra sem espaço:

    —¿Sabe si en el momento de caer subía o bajaba la escalera?

    —Bajaba.

    —¡Alabado sea Dios! —exclama mister Mac—. Si bajaba, llevaba la botella vacía.



Como se pode observar nos exemplos anteriores, as intervenções do autor aparecem entre os travessões que aparecem colados à primeira e à última palavra da intervenção.



Trema (diéresis)
 
Em espanhol, ao contrário que no português, ainda se utiliza a trema sobre a vogal “u” para indicar que esta deve ser pronunciada em combinações como gue e gui: vergüenza, pingüino, lingüística.

Vírgula (coma)

Em português, após uma saudação no cabeçalho de uma carta, e-mail ou afins, colocamos a vírgula: "Querida amiga,"; em espanhol, as fórmulas de saudação são seguidas de dois pontos e não de vírgula: "Querida amiga:". Ao colocar um vocativo, aí sim a vírgula se faz necessária diante desse vocativo. Exemplo: "Hola, Rosa:"

5 comentários:

  1. Muito bom! Cansei de usar as aspas itálicas em espanhol! Obrigada pelas explicações.

    ResponderExcluir
  2. Não sabia que existiam regras para as aspas! Achei que a escolha dependia do caractere usado. Sempre aprendendo.

    ResponderExcluir
  3. Diana, veja a frase:
    Un espectro con vida —con más vida que yo—.
    Veja esse travessão no final da frase. Em português é possível usar assim ou o correto é apenas colocar o ponto.
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Marlova.
      Obrigada pela contribuição. Em português, usa-se o travessão simples no final do período. Assim:
      Um espectro com vida — com mais vida que eu.

      Um abraço.

      Excluir