sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Análise contrastiva do uso dos verbos em português e espanhol

Apesar da semelhança entre as duas línguas, o uso dos verbos apresenta características peculiares a cada uma delas. Vejamos as principais:

PRETÉRITO PERFEITO SIMPLES x PRETÉRITO PERFEITO COMPOSTO

Em português, usa-se sempre o pretérito perfeito simples para indicar uma ação acabada “eu comi”, enquanto em espanhol, especialmente na variante peninsular, prefere-se o uso do pretérito perfeito compostohe comido”, que indica um fato recente, mas já concluído.


Por outro lado, em português, a forma composta indica um processo que teve início no passado e que pode se prolongar até o momento atual “Tenho estudado muito para os exames”, “Nos últimos meses, temos consumido muita energia elétrica”. Outra diferença é que enquanto no espanhol se usa o verbo auxiliar “haber”, em português, usamos o auxiliar “ter”.


IMPERFEITO DO SUBJUNTIVO

O espanhol tem duas formas de imperfeito do subjuntivo “si yo comiera” ou “si yo comiese”, ambas são válidas e comumente usadas. Em português, temos apenas uma forma “se eu comesse”.

Os aprendizes de espanhol lusofalantes costumam confundir a forma do imperfeito do subjuntivo em espanhol terminada em “ra” (si yo comiera) com a forma em desuso do pretérito mais-que-perfeito do português, que serve para expressar um fato ocorrido antes de outro fato já terminado, “Ele já estudara as lições quando os amigos chegaram”.

MODO IMPERATIVO

Os lusofalantes costumam ter dificuldades para usar corretamente o modo imperativo em espanhol, pois em português esse modo é pouco utilizado por ser considerado pouco cortês. Outra dificuldade é a confusão entre as segundas pessoas e as terceiras, já que, em português, o pronome informal de tratamento de segunda pessoa “você” (pessoa com que se fala) concorda com o verbo em terceira pessoa (pessoa de quem se fala).

Exemplos:

Abra a porta, feche as janelas e arrume a mesa = Abre la puerta, cierra las ventanas y pon la mesa.

Outra dificuldade consiste na união dos pronomes oblíquos à forma imperativa. 

Em espanhol, admite-se a união do pronome direto e do pronome indireto à forma do imperativo afirmativo.

Ponte las zapatillas = Póntelas
Quítate los sapatos = Quítatelos

a) Quando um verbo leva dois pronomes: Objeto Indireto + Objeto Direto; nesse caso primeiro vai o pronome Objeto Indireto, logo depois o Objeto Direto: Coge el abrigo y póntelo, por favor.

c) Se o objeto indireto é de 3ª pessoa, "le" e "les" são substituídos por "se". 

Exemplos:
¿Le doy la leche a la niña? Sí, dásela, por favor.
Les llevo estos dulces a mis abuelos, ¿vale? Sí, claro, llévaselos.

Por sua vez, o imperativo negativo não permite a união dos pronomes ao verbo, por tanto, as formas sublinhadas nas frases acima ficariam assim:
No se la des.
No se los lleves.

Esse assunto é complexo e merece uma publicação à parte. Aqui apresentamos somente uma pequena comparação do uso nas duas línguas.

INIFINITIVO IMPERSONAL x INFINITIVO FLEXIONADO

Em espanhol, usa-se apenas a forma invariável do infinitivo, isto é, a forma impessoal. Em português, temos também a forma flexionada ou pessoal do infinitivo, o que, aliás, é um "idiotismo". Muita calma nessa hora... idiotismo não tem nada que ver com o adjetivo pejorativo "idiota", a palavra idiotismo designa um aspecto peculiar de uma língua, ou seja, o infinitivo flexionado é um uso peculiar da língua portuguesa.

Exemplos:

O professou pediu para lermos o texto em voz baixa. = El profesor nos pidió que leamos el texto en voz baja.
Para alcançarmos o sucesso, é necessário muito esforço = Para que alcancemos el éxito, es necesario mucho esfuerzo / Para que logremos el éxito, debemos esforzarnos mucho.
O vizinho pediu para eu regar suas plantas = El vecino me pidió que le riegue las plantas.

O infinitivo flexionado é um dos assuntos mais espinhosos da língua portuguesa e merece vários artigos. Para saber como traduzir o infinitivo flexionado clique aqui

PERÍFRASE VERBAL COM O VERBO IR + INFINITIVO

Diferentemente do português, em espanhol a perífrase do verbo ir + infinitivo exige a preposição "a" entre os dois verbos. Tanto no passado, quanto no futuro.

Exemplos:

Vamos estudar a lição = Vamos a estudiar la lección.
Na quarta-feira vamos ao cinema = El miércoles vamos al [a+el] cine.
Este ano vou comprar um carro novo = Este año voy a comprarme un coche nuevo.
Vamos pedir uma pizza? = ¿Vamos a pedir una pizza?

Hoje de manhã fomos passear no centro histórico = Esta mañana hemos ido a pasear en el centro histórico.
No ano passado fomos estudar em Londres = El año pasado fuimos a estudiar a Londres.
Na semana passada ele foi visitar a exposição = La semana pasada él fue a visitar la exposición.


VERBOS PRONOMINAIS E REFLEXIVOS

Em espanhol, os verbos pronominais e reflexivos são muito mais numerosos que em português.

Vejamos alguns verbos pronominais em espanhol: enfadarse (yo me enfado), reirse (nosotros nos reímos), pelearse (ellas se pelean con los vecinos), gustar (me gusta dibujar), quedarse (ella se quedó callada), marcharse (nos marchamos de aqui).

Agora, alguns exemplos de verbos reflexivos: lavarse (él se lava las manos), peinarse (vosotros os peináis), cepillarse los dientes (¡venga, cepíllate los dientes de una vez!), ducharse (ella se está duchando, ella está duchándose), quejarse (¡dejad de quejaros!), arrepentirse (ellos se arrepintieron), etc.

Tanto os verbos pronominais quanto os reflexivos exigem pronome, a diferença consiste em que os verbos reflexivos servem para expressar uma ação que recai sobre o sujeito que a pratica. Ou seja, todos os verbos reflexivos são pronominais, porque requerem pronome, mas nem todos os pronominais são reflexivos.

Alguns verbos mudam de significado quando acompanhados de pronome:

Acordarse = lembrar (No me acuerdo de su nombre) / Acordar = chegar a um acordo (Los diplomáticos acordaron un nuevo tratado de libre comercio).
Echarse = descansar (Juan se echó en el sofá a dormir una siesta) / Echar = demitir,  (Este mes echaron a dos empleados  de la oficina), jogar (Por favor, echa la basura a la calle).
Irse = abandonar um lugar (Me voy a casa, hasta mañana) / Ir = dirigir-se a um lugar (Vamos al cine esta noche).
Arreglarse = ficar elegante (Las chicas se arreglaron para el baile) / Arreglar = reparar alguma coisa (El técnico arregló la computadora).

Os “verbos de cambio” também são pronominais: hacerse, quedarse, volverse, ponerse, convertirse (Los hinchas del Real Madrid se pusieron muy contentos con el resultado del partido). Para saber mais sobre o emprego dos verbos de cambio em espanhol, clique aqui




FUTURO DO SUBJUNTIVO

O futuro de subjuntivo, vigente em português, está em desuso em espanhol, que em seu lugar usa o presente do indicativo ou o presente de subjuntivo. Atualmente, em espanhol, o futuro do subjuntivo só aparece em textos literários antigos ou em textos legais.

Exemplos:

Quando chegar ao shopping, ligue para mim. = Cuando llegues al centro comercial, llámame.
Se tiver tempo, venha me ver = Si tienes tiempo, ven a verme.

Para saber mais detalhes sobre o uso e tradução do futuro do subjuntivo, clique aqui

DIFERENÇAS DE USO DOS VERBOS DE LIGAÇÃO SER E ESTAR

Enquanto algumas línguas como o inglês (to be) e o alemão (sein) têm um único verbo para expressar os verbos de ligação ser e estar; em espanhol, assim como em português, temos dois verbos: o verbo ser, usado para definir uma característica permanente “Él es vigilante” e o verbo estar, usado para indicar estados temporários “Él está de vigilante”, ou seja, é um trabalho temporário.

Enquanto em português usamos o verbo estar para indicar algumas sensações e estados corporais, em espanhol usamos o verbo tener.

Estou com fome = tengo hambre
Estou com sede = tengo sed
Estou com frio = tengo frío
Estou com calor = tengo calor
Estou com febre = tengo fiebre
Estou com sono = tengo sueño

Enquanto os lusofalantes pensam no casamento como algo permanente “Ele é casado”, os hispanofalantes pensam nisso como uma condição temporária “Él está casado”. É claro que estou brincando, mas não deixa de ser curioso, não?

Outros usos diferentes:

É proibido fumar = Está prohibido fumar.
A minha casa é muito longe. = Mi casa está muy lejos.

Em espanhol, adjetivos mudam totalmente seu significado, na medida que fosse utilizado com SER ou ESTAR.

ser listo (inteligente) / estar listo (estar pronto).
ser católico (na religião) / estar católico (estar bem de saúde).
ser malo (personalidade) / estar malo (estar doente).
ser vivo (ser experto) / estar vivo (estar com vida).
ser rico (ter muito dinheiro) / estar rico (alimento saboroso).
ser bueno (personalidade) / estar bueno (de saúde, aparência, ou comida).

VOZ ATIVA x VOZ PASSIVA

Em espanhol, ao contrário do português, é mais habitual o uso da voz ativa; e quando se usa a voz passiva, prefere-se a forma sintética (se usa, se conoce, se encontraron, etc.) à forma analítica, habitual em português (é usado, é conhecido, foram encontrados, etc).

Vejamos alguns exemplos:
A cachaça é obtida a partir da cana-de-açúcar = La «cachaça» se obtiene a partir de la caña de azúcar.
Maracanaço é o nome pelo qual é conhecida a vitória da seleção de futebol do Uruguai = «Maracanaço» es el nombre con el que se conoce a la victoria de la selección de fútbol de Uruguay.

Para saber mais sobre o uso da voz passiva em espanhol, clique aqui.

2 comentários:

  1. Muito legal... Parabéns ! tudo bem explicado, me ajudou muito para estudar. Gracias :)

    ResponderExcluir