quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Alguns regionalismos divertidos



Outro dia, durante um bate-papo entre amigos, as crianças pediram dinheiro aos pais para comprar fichas para jogar pebolim.



Subitamente surgiu uma série de nomes para o tal jogo de mesa. Eu, como observadora linguística que sou, já fui armazenando as informações em minha “caixola” para um posterior registro. Tradutor que se preza registra tudo, pois nunca se sabe quando pode precisar.



Segue uma lista dos nomes dados ao futebol de mesa:

Totó: Rio, Minas Gerais, Norte e Nordeste

Pebolim: Paraná e São Paulo

Pacau: Santa Catarina
Fla-Flu: Rio Grande do Sul 




E pelo mundo afora: 

Portugal: Matraquilhos 
Argentina: Metegol 
Espanha: Futbolín 
Estados Unidos: Foosball 
Alemanha: Tischfussbal 
França: Baby-foot



E depois, não sei como, começou uma nova demonstração da nossa diversidade linguística ao falar daqueles sucos gelados vendidos em sacolinhas, o picolé mais popular e adorado pela criançada (e pelos adultos também!).





Segue a lista de denominações da “guloseima”:

Geladinho: Bahia, São Paulo

Chup-chup: Minas Gerais, Santa Catarina

Sacolé: Rio de Janeiro, Porto Alegre

Dim-dim: Ceará, Nordeste

Flau: Pará, Nordeste
Chopp: Belém do Pará





E pela América Latina afora:
Colombia: boli

Venezuela: chupichupi, bambino, duro frío, polito

Perú: chup o marciano





E o semáforo, já reparou nos nomes usados pelo Brasil afora?



Sinal: Paraná, Minas Gerais

Farol: São Paulo

Sinaleira: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário